Topo
pesquisar

O que é “Pasárgada”?

Literatura

Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca da Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d`água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
-Lá sou amigo do rei-
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada.

(Estrela da vida inteira, cit., p. 127-8.)

Rosa: mulata que serviu de ama-seca a
Manuel Bandeira e a seus irmãos quando
meninos.

alcalóide: substância química encontrada
Nas plantas que, entre outros fins, serve
para a fabricação de drogas.

É o próprio Bandeira quem explica:

“Vou-me embora pra Pasárgada” foi o poema de mais longa gestação em toda minha obra. Vi pela primeira vez esse nome de Pasárgada quando tinha os meus dezesseis anos e foi num autor grego. [...] Esse nome de Pasárgada, que significa “campo dos persas”, suscitou na minha imaginação uma paisagem fabulosa, um país de delícias [...]. Mais de vinte anos depois, quando eu morava só na minha casa da Rua do Curvelo, num momento de fundo desânimo, da mais aguda doença, saltou-me de súbito do subconsciente esse grito estapafúrdio: “Vou-me embora pra Pasárgada!”. Senti na redondilha a primeira célula de um poema [...].

Literatura - Brasil Escola

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • Elzaterça-feira | 14/04/2015 04:19Hs
    Seria bom se alguns poemas tivessem explicações como esta,pois,teriam sentido algumas colocações para muitos inexplicáveis, os sentimentos são do poeta e quando expostos compreendemos melhor a alma humana.
  • Neusa Steinbachsapoguesexta-feira | 20/03/2015 09:24Hs
    Amo a poesia do poeta Manoel Bandeira. Tido como uns dos vanguardistas da Semana de Arte Moderna, Bandeira vem revolucionar o modo de fazer poesia, influenciado pelos chamados pré modernistas. O seu poema O Sapo caiu muito bem no mundo moderno de se fazer. Mas vamos falar sobre Pasárgada: surge no momento da vida de um jovem adolescente, vítima da doença mais temida pela sociedade, pessoas, daquela época. Assim, será marcada a poesia de Bandeira: ora recorre a infância, ora marcada pela doença que o acompanhará por toda vida. Apesar dessa presença forte da morte, a poesia bandeiriana não é piegas, não. Na última estrofe de Pásargada, a sua poesia é futurista, visionária apesar do momento em que é escrita. Com versos fortes o poeta se projeta num futuro jamais imaginado pelos da sua época.
  • salvador moral lopesquinta-feira | 11/09/2014 23:55Hs
    parece-me que Manuel Bandeira era tuberculoso, passargada era uma cidade de seus sonhos,pois no sonhom podemos fazer tudo.
  • Meg Vieiraquarta-feira | 27/08/2014 12:00Hs
    Excelente! Explicativo sem ser enfadonho.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos da português infantil.
CURSO DE PORTUGUÊS INFANTIL
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre a reforma ortográfica.
NOÇÕES DA REFORMA ORTOGRÁFICA
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de inglês para crianças.
CURSO DE INGLÊS INFANTIL
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação