Topo
pesquisar

Perestroika e glasnost na URSS

História Geral

A perestroika e glasnost simbolizaram as tentativas de Mikhail Gorbatchev em por fim à crise que atravessava a URSS.
PUBLICIDADE

O governo de Mikhail Gorbatchev à frente da União Soviética ocorreu entre 1985 e 1991, representando o fim da tentativa de construção do capitalismo de Estado soviético, chamado em alguns meios políticos de socialismo soviético.

As principais características da política interna do governo de Gorbatchev estiveram relacionadas a duas palavras russas que indicavam as tentativas de mudanças no sistema soviético: perestroika e glasnost.

Em russo, perestroika tem o significado de reestruturação. A utilização da palavra tinha por objetivo indicar os caminhos a serem traçados para realizar mudanças estruturais na economia e na sociedade soviética. A economia da URSS não alcançou nas décadas de 1970 e 1980 os altos índices de crescimento econômico verificados em tempos anteriores. A situação era resultado do esgotamento das formas de organização social soviética, na qual a centralização política e econômica no Estado e no Partido Comunista impedia o desenvolvimento de mecanismos que garantissem o aumento da produtividade.

Já a palavra glasnost tem por significado transparência e foi utilizada para representar o processo de abertura política que pretendia Gorbatchev e o grupo de burocratas soviéticos que o auxiliava. Era uma tentativa de dar um pouco de transparência aos mecanismos de decisão política da URSS, rigidamente controlada pela nomenklatura, a classe de burocratas que controlava a sociedade soviética.

A perestroika e a glasnost eram, dessa forma, uma tentativa de Mikhail Gorbatchev de por fim à crise social pela qual atravessava a sociedade soviética. E essa crise estava relacionada com o próprio desenvolvimento da URSS.

No capitalismo, o aumento da produtividade é garantido principalmente com o aumento do consumo da classe trabalhadora. Isto se dá, pois, ao consumir os bens necessários à sua reprodução física, a classe trabalhadora impulsiona a produção material em todos os seus níveis, desde a agricultura, passando pela indústria, até os serviços que oferecem as condições para a efetivação desse consumo dos trabalhadores.

Porém, a classe trabalhadora não consegue esse aumento de consumo “de mão beijada”. Ela ocorre geralmente após lutas por aumentos de salário e melhorias nas condições de trabalho. Geralmente essas lutas acontecem através de greves ou outras mobilizações que pressionam os capitalistas a atenderem as reivindicações dos trabalhadores.

O aumento salarial quando é atendido diminui a margem de lucro dos capitalistas, que, por sua vez, são obrigados a encontrar maneiras de aumentar o seu lucro, para reproduzir a acumulação de capital, situação conseguida com o aumento da produtividade da classe trabalhadora. O aumento da produtividade é possibilitado, principalmente, através de inovações tecnológicas, necessitando, dessa forma, de investimentos em ciência e educação.

Porém, para que esse sistema funcione de forma a garantir a reprodução do lucro dos capitalistas, é necessário que os trabalhadores possam expressar minimamente suas insatisfações, substituindo a repressão aberta das forças policiais e estatais pela negociação, principalmente através de sindicatos.

Tal situação era verificada nos países da esfera de influência do capitalismo dos EUA. O que havia na URSS era a repressão aberta contra os trabalhadores. As medidas de Gorbatchev, a glasnost e a perestroika, pretendiam mudar esse cenário, garantindo uma maior liberdade aos trabalhadores, mas também às oposições existentes dentro da própria burocracia do Partido Comunista, buscando uma descentralização das decisões que estavam nas mãos da nomenklatura.

O que houve na URSS não foi o socialismo ou o comunismo. O que houve foi a existência de um capitalismo não baseado na propriedade privada. O capitalismo soviético era baseado na propriedade estatal. Os dois tipos de capitalismo se assemelham por manterem como base de seu funcionamento a exploração econômica e social da classe trabalhadora.

No capitalismo de propriedade privada, a classe exploradora geralmente é associada à burguesia. No capitalismo de propriedade estatal, a classe exploradora é a burocracia de Estado. Em ambos os tipos de capitalismo, os trabalhadores estão afastados do controle dos meios de produção e do processo de trabalho.

Gorbatchev pretendia com a perestroika e com a glasnost resolver a crise que atravessava a URSS, mas foi incapaz de conter a desagregação do sistema soviético. Em 1991, tinha fim a URSS. E o tipo de capitalismo desenvolvido na esfera de influência dos EUA aparecia ao mundo como o vitorioso de uma disputa que marcou o século XX.

* Crédito da Imagem: Peter Scholz e Shutterstock.com


Por Tales Pinto
Mestre em História

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

PINTO, Tales Dos Santos. "Perestroika e glasnost na URSS"; Brasil Escola. Disponível em <http://www.brasilescola.com/historiag/perestroika-glasnost-na-urss.htm>. Acesso em 02 de novembro de 2015.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • vivisegunda-feira | 09/03/2015 14:32Hs
    me ajudou no trabalho !!!muito obrigada
  • Gabrielly Correiaquarta-feira | 14/05/2014 20:58Hs
    Mto bom :))
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos sobre geografia infantil
GEOGRAFIA INFANTIL
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
AULAS AO VIVO DO ENEM
AULAS AO VIVO DO ENEM
12x R$ 20,83

sem juros

COMPRAR
Motivação a Leitura e a Escrita
CURSO DE FRANCÊS
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
PREPARATÓRIO PARA O ENEM
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação