Topo
pesquisar

Guerra da Coreia

História Geral

Chegado o fim da Segunda Guerra Mundial, o Japão perdeu todas suas áreas de exploração colonial. Entre outras regiões espalhadas pelo mundo, a Coreia foi livrada do poderio nipônico graças à intervenção das tropas soviéticas e norte-americanas. Com a polarização política e ideológica da Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética empreenderam a divisão do território coreano a partir da criação de uma linha imaginária situada no Paralelo 38º.

O acordo firmado, em 1948, deu origem a duas novas nações: ao norte, a socialista República Democrática da Coreia do Norte; e ao sul, a capitalista República da Coreia do Sul. Depois da retirada das tropas estrangeiras, uma verdadeira guerra ideológica se instalou na região, acirrando as relações entre as duas novas nações. Inspirados pela vitoriosa revolução liderada por Mao-Tsé Tung na China, grupos políticos do norte mobilizaram-se militarmente na tentativa de reunificar a Coreia.

O início da guerra foi longo, seguido por uma reunião extraordinária da ONU que deveria arbitrar sobre o conflito. As nações reunidas concluíram que a ação norte-coreana deveria ser reprimida por meio do envio de tropas internacionais. Os exércitos enviados, de maioria norte-americana, realizaram um rápido ataque que tomou a Coreia do Norte em setembro de 1950. No entanto, a participação da China no conflito mudou os quadros dessa guerra.

O apoio dos chineses aos norte-coreanos obrigou as tropas da ONU a recuarem de volta ao Paralelo 38º. Um dos líderes das forças norte-americanas, general MacArthur, insatisfeito com o recuo, exigiu a concessão de poderes para o uso de armas nucleares. Nesse período, os norte-coreanos empreenderam uma série de ataques bem sucedidos contra a Coreia do Sul. Pouco tempo depois, os conflitos recuaram à região de fronteira das duas nações.

Ao longo de mais dois anos, os conflitos se desenvolveram provocando intenso desgaste das tropas de ambos os lados. Com isso, em 1953, abriram-se diversas rodadas de negociação com o objetivo de dar fim à Guerra da Coreia. No mês de julho, o Armistício de Pan-munjom restaurou os mesmos limites territoriais fixados após a Segunda Guerra Mundial. Sem nenhum ganho militar, territorial ou político, mais de quatro milhões de pessoas foram mortas durante os conflitos.

A Coreia do Sul permaneceu capitalista e ganhou incentivo dos Estados Unidos para recuperar-se depois da guerra. Depois de sofrer com a corrupção e a ascensão de governos totalitários, o país modernizou sua economia e hoje se destaca como um dos mais proeminentes “Tigres Asiáticos”. O país tenta reaproximar-se politicamente da Coreia do Norte e ganhou notoriedade com a realização de parte dos jogos da Copa do Mundo de 2002.

Os norte-coreanos preservam um governo de orientação socialista marcado por um governo centralizado nas mãos de grupos militares. Ao longo da Guerra Fria, conseguiram firmar uma sólida política educacional e um eficiente sistema de saúde. Em contrapartida, desenvolvem um programa nuclear visto com desconfiança por diversas nações contemporâneas, principalmente os Estados Unidos.

Por Rainer Sousa
Graduado em História

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos da português infantil.
CURSO DE PORTUGUÊS INFANTIL
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre a reforma ortográfica.
NOÇÕES DA REFORMA ORTOGRÁFICA
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de inglês para crianças.
CURSO DE INGLÊS INFANTIL
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação