Topo
pesquisar

Jovem Guarda

História do Brasil

A partir da década de 1950, o cenário cultural brasileiro passou a vivenciar tempos de impressionante efervescência. Em virtude da popularização dos meios de comunicação e do contato com manifestações de outros países, a juventude brasileira experimentava novas formas de expressão que os inseria enquanto agentes ativos de sua cultura. No campo musical, o rock’n’roll caía no gosto de vários jovens que se identificavam com as músicas e a letras de Elvis Presley, Chuck Berry, Beatles e Rolling Stones.

Essa nova sonoridade experimentada motivou diversos jovens a reproduzirem esse novo gênero com letras ambientadas em cenários urbanos brasileiros. Novos cantores e bandas apareciam na cena musical da época, como os reis do “iê, iê, iê” embalados pelo som das guitarras elétricas e do ritmo ditado pelas baterias. Nesse mesmo período, a TV se torna o grande espaço de popularização de artistas como Roberto Carlos, Wanderléia, Erasmo Carlos, Sérgio Reis, Os Vips, Golden Boys, Jerry Adriani e Ronnie Von.

O aparecimento desses artistas acabou instituindo o movimento da “Jovem Guarda”, nome originalmente retirado do programa televiso da Record criado em 1965. Um dos fatores que possibilitaram a ascensão destes novos grupos e cantores na TV foi o espaço deixado pelos clubes de futebol, que haviam proibido a transmissão televisiva de suas partidas. Não por acaso, a entrada pela TV favorecia o uso do visual moderno e das performances agitadas entre aqueles que se apresentavam nos programas do período.

Em suas letras, os cenários harmoniosos e as paixões adolescentes eram recorrentes no canto daqueles novos artistas. As situações cotidianas representadas por meio dessas canções eram geralmente dotadas de um clima descontraído e por situações de natureza cômica. A euforia de um beijo roubado, o passeio de carro pela cidade ou a ida ao cinema se tornavam pano de fundo de situações ficcionais que povoavam o imaginário dos fãs daqueles jovens ídolos.

Apesar da fama alcançada, a Jovem Guarda também foi alvo das críticas dos que compreendiam a inserção do rock e o uso das temáticas românticas como uma total falta de compromisso para com os problemas vividos no país. Essa parcela de jovens e artistas avessa ao “iê, iê, iê” estava preocupada em utilizar a arte como instrumento eficaz para se discutir os problemas vividos no país. Muitas vezes, os membros da Jovem Guarda eram desvalorizados pelo tom “alienante” de suas canções.

Essa disputa ocorrida entre os “engajados” e o pessoal da Jovem Guarda chegou a estabelecer uma disputa de audiência nos meios de comunicação da época. Nesse mesmo período, um outro programa de televisão chamado “O Fino da Bossa”, apresentado pelos cantores Jair Rodrigues e Elis Regina, fazia diversas críticas contra as opções estéticas e temáticas dos cantores da Jovem Guarda.

De fato, essa disputa demonstrava a grande efervescência cultural do cenário musical brasileiro durante a década de 1960. Com o passar do tempo e o amadurecimento do público fiel à Jovem Guarda, muitos de seus artistas se aventuraram em outros campos da música. Essa situação pode ser vista através da carreira de Roberto Carlos, que nas décadas seguintes se transformaria em um dos maiores representantes da música romântica no Brasil.


Por Rainer Sousa
Graduado em História

 

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • Renata Brasilterça-feira | 25/11/2014 21:41Hs
    MUITO BOM!
  • Thiago Bassos dos Santosdomingo | 20/07/2014 16:02Hs
    Muito bom, ótimo texto e bem explicativo, porém, tenho uma duvida, oque eles buscavam com isso?
  • euquinta-feira | 22/05/2014 13:34Hs
    muito bom
  • Lucassexta-feira | 23/08/2013 00:15Hs
    muito bom
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos da português infantil.
CURSO DE PORTUGUÊS INFANTIL
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre a reforma ortográfica.
NOÇÕES DA REFORMA ORTOGRÁFICA
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de inglês para crianças.
CURSO DE INGLÊS INFANTIL
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação