Topo
pesquisar

Concordância Verbal

Gramática

A concordância verbal se manifesta pela adequação em número e pessoa que se estabelece entre o verbo e seu respectivo sujeito.
PUBLICIDADE

Em se tratando da concordância verbal, cumpre dizer que ela se define pela harmonia, pelo equilíbrio que se manifesta entre o verbo e seu respectivo sujeito. Tal equilíbrio diz respeito exatamente à adequação que se dá entre ambos os elementos em número e pessoa.

No entanto, dados os pormenores que norteiam os fatos linguísticos de uma forma geral, em algumas circunstâncias pode ser que o verbo permaneça somente no singular, em outras somente no plural e em algumas ele pode assumir ambas as posições. Estamos falando, pois, das possíveis exceções que tendem a se manifestar. Falando nelas, passaremos a conhecê-las a partir de agora.

1) No caso de o sujeito estar ligado pela conjunção “ou”, tal ocorrência se encontra atrelada a alguns princípios:

- O verbo permanecerá no plural se o fato expresso por ele abranger todos os núcleos:

A falta de exercícios físicos ou a má alimentação são prejudiciais à saúde.
      
- Havendo ideia de exclusão, o verbo permanecerá no singular:

Ou você ou ele sairá vencedor.   

- No caso de a conjunção ligar palavras ou expressões sinônimas, o verbo permanecerá no singular:

Classes gramaticais ou classes de palavras integra os estudos morfológicos.  

- No caso de a conjunção indicar probabilidade ou retificação, o verbo concordará com o segundo núcleo:

O aluno ou os alunos responsáveis pelo ato serão punidos.   

2) Em casos relacionados a sujeito ligado pelas expressões nem...nem:

- No caso de o fato expresso fazer referência a todos os núcleos, o verbo permanecerá no plural:

Nem a ascensão social nem o acúmulo de riquezas lhe proporcionaram alegrias. 

3) Quando o sujeito for representado pelas expressões “um e outro” ou “nem um nem outro”, o verbo poderá permanecer no singular ou ir para o plural:

Um e outro atrapalhava a aula constantemente.
Um e outro atrapalhavam a aula constantemente.
Nem um nem outro conseguiu concluir a pesquisa. 
Nem um nem outro conseguiram concluir a pesquisa. 

ASPECTO IMPORTANTE:

- No caso de haver reciprocidade de ação, o verbo permanecerá somente no plural:

Um e outro convidado se cumprimentavam afavelmente.

4) No caso de o sujeito ser seguido de um aposto resumidor (tudo, nada, ninguém, cada um) o verbo concordará com  o aposto:

Festas, viagens, reunião com amigos, nada o comovia.  

5)  Quando o sujeito for representado por infinitivos, tal ocorrência obedece aos seguintes critérios:

- Caso não haja determinante o verbo ficará no singular:

Caminhar e dormir faz bem à saúde.

- No caso de haver determinação, o verbo permanecerá no plural:

O lutar e o progredir constituem a conduta humana.

- Se os infinitivos indicarem ações opostas, o verbo permanecerá no plural:

Lutar e desistir são dissociáveis.

6) A concordância com o pronome “se” se encontra relacionada a alguns pressupostos:

- Se o pronome “se” for classificado como índice de indeterminação do sujeito, o verbo ficará na terceira pessoa do singular, fazendo referência a verbos intransitivos, transitivos indiretos ou de ligação:  

Vive-se bem aqui. (intransitivo)

Era-se mais contente. (verbo de ligação)

Acredita-se em dias melhores. (verbo transitivo indireto)

- Quando o pronome for apassivador, o verbo concordará com o sujeito paciente, em se tratando de verbos transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos:  

Discutiu-se essa questão. (Essa questão foi discutida)

Entregaram-se as medalhas aos vencedores. (As medalhas foram entregues aos vencedores)

7) Casos em que o sujeito é ligado por conjunções correlativas, expressa por “não só... mas também, tanto...quanto, não só...como também”, entre outras, o verbo tanto pode permanecer no singular como ir para o plural:

Não só os aplausos, mas também os gritos nos incomodava.
Não só os aplausos, mas também os gritos nos incomodavam.

8) Nos casos relacionados aos verbos “dar, soar e bater”, esses concordam com a expressão numérica que indica as horas:

Soaram dez horas no relógio da matriz.

Deu uma hora naquele relógio da parede.

9) O verbo “parecer”, uma vez anteposto a um infinitivo, admite duas construções:

- Quando o infinitivo for flexionado, o verbo “parecer” permanece invariável:

Os dias parece demorarem a passar. 

- No caso da flexão do verbo “parecer”, o infinitivo não varia:

Os dias parecem demorar a passar.   

10) Quando um verbo no infinitivo aparecer acompanhado de um sujeito representado por pronome oblíquo átono antecedido dos verbos “deixar, fazer, perceber e mandar”, esse permanece invariável:

Deixe-as entrar, pois são da família.

Mande-os sair rapidamente.    

11) Em casos relacionados à expressão “haja vista”, segundo os preceitos gramaticais, ela deve sempre permanecer invariável:

Não haverá grandes transtornos, haja vista os propósitos antes firmados. 

12) A concordância com verbos impessoais é demarcada por alguns pressupostos, entre os quais:

-  No caso dos verbos que expressam fenômenos da natureza, o verbo permanece na terceira pessoa do singular:

Choveu muito à noite.
Trovejou bastante hoje.

- Os verbos “fazer” e “estar”, indicando tempo ou clima,  permanecem na terceira pessoa do singular:

Faz dois anos que não o vejo.

Está frio aqui.

- No caso do verbo “haver”, ora indicando tempo decorrido, existência, ocorrência ou acontecimento, esse sempre deverá permanecer invariável (ficando na terceira pessoa do singular):

Havia pessoas dispostas e interessadas. (existiam)

dois dias que não a vejo por aqui. (tempo decorrido)

13) O verbo “ser” também representa um caso que obedece a alguns princípios específicos, sendo esses manifestados por:

- Fazendo referência a datas, horas e distância, embora assumindo a condição de impessoal, o verbo concorda com a expressão a que se refere:

Já é quase uma hora.

Daqui até lá são dois quilômetros.

- No caso de o sujeito ser representado por uma expressão numérica, o verbo “ser” deverá permanecer no singular:

Dez minutos para mim é pouco.

- Em casos de frases demarcadas pela locução “é que”, o verbo “ser” concorda com o substantivo ou pronome antecedente:

Nós é que fomos os responsáveis pelo projeto.

- No caso de o sujeito ser representado pelos pronomes “tudo, isso, aquilo ou isto”, o verbo “ser” poderá concordar com o sujeito ou com o predicativo:

Tudo eram superstições sem sentido. 

Aquilo era bobagem.     

- Nos casos em que há a ocorrência de sujeito e predicativo, a concordância do verbo “ser” se dá com palavras que se sobressaem entre as demais. Vejamos, pois, alguns casos:

* Em casos referentes à pessoa e coisa, a concordância se manifesta em relação à pessoa:

A população são as mulheres.  

* Quando se tratar de nome próprio e nome comum, a concordância prevalecerá sobre o nome próprio:

Machado de Assis era as atrações da Bienal do Livro.

- Em casos referentes à singular e plural, prevalece a concordância relativa ao plural:

A mochila eram panos e zíperes.

- Em se tratando de pronome reto e qualquer outra palavra, a concordância se manifesta com o pronome reto:

O professor sou eu

Os líderes somos nós.

14) Concordância ideológica representa a concordância que se manifesta não com o termo expresso na oração, mas com a ideia nela contida. Dessa forma, há três modalidades de concordância:

* Concordância de gênero – manifesta-se quando a concordância se dá com o gênero gramatical:

Vossa Majestade parece ansioso. 

* Concordância de número – ocorre quando a concordância se dá com o número gramatical:

A multidão queriam que os portões fossem abertos.

* Concordância de pessoa – manifesta-se quando a concordância se dá com a pessoa gramatical:

Os brasileiros somos todos patriotas.

Vimos, por meio das elucidações aqui expostas, os muitos casos relativos à concordância verbal. Casos esses que fogem um pouco ao tradicional, dada a presença dos muitos pormenores com os quais compartilhamos. Dada essa realidade, torna-se interessante também conhecermos os casos referentes a sujeito simples e composto.


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DUARTE, Vânia Maria Do Nascimento. "Concordância Verbal"; Brasil Escola. Disponível em <http://www.brasilescola.com/gramatica/concordanciaverbal.htm>. Acesso em 02 de novembro de 2015.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • cristina scabiosegunda-feira | 29/12/2014 21:28Hs
    Li uma frase em uma página de pedagogia que diz o seguinte: "Pesquisa aponta: Marido de professoras é 80% mais feliz que outros homens". Achei um tanto estranha, parece haver erro de concordância. Por favor, poderia me esclarecer? Obrigada e parabéns pelos conteúdos bastantes (ou seria bastante?) esclarecedores!
  • Deuzimar Santiago de Barrossexta-feira | 22/08/2014 17:34Hs
    Material bastante complementar... Esclareceu dúvidas e apresentou-me situações ainda não vistas
  • Douglasdomingo | 29/06/2014 14:53Hs
    Bastante objetiva a explicação. Bom.
  • onivaldo moacir romaquinta-feira | 24/04/2014 11:36Hs
    Didático, claro e completo.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos sobre geografia infantil
GEOGRAFIA INFANTIL
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
AULAS AO VIVO DO ENEM
AULAS AO VIVO DO ENEM
12x R$ 20,83

sem juros

COMPRAR
Motivação a Leitura e a Escrita
CURSO DE FRANCÊS
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
PREPARATÓRIO PARA O ENEM
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação