Topo
pesquisar

As terminologias “-izar” ou “-isar”- Empregando-as corretamente

Gramática

PUBLICIDADE

Longe de quaisquer questionamentos, a ortografia se caracteriza como um dos entraves no tocante à postura do emissor mediante à modalidade escrita da linguagem. Inúmeras palavras, em virtude de se apresentarem semelhantes quanto ao som, colocam-nos em xeque, como é o caso dos páreos “x/ch”, “l/u”, s/z.

Sendo assim, dadas as particularidades gramaticais, mais precisamente no que se referem às regras e suas eventuais exceções, faz-se necessário que estejamos atentos a elas, com vistas a superar tais obstáculos. Diante disso, o artigo ora em discussão tem por objetivo enfatizar as palavras que se constituem dos sufixos “-izar” e “-isar”, as quais comumente se tornam alvo desses temíveis questionamentos. Vejamos, pois:

Subsidiando-nos no vocábulo “exorcizar”, temos que este se oriunda do latim exorcizare, cujo significado se atém ao sentido de expulsar os demônios por meio de preces: exorcizar um possesso. Constatamos, portanto, que os traços relacionados à origem de uma determinada palavra, influenciam por demais na sua grafia, haja vista que “exorcizare” se compõe da letra “z”, consequentemente, “exorcizar” segue o mesmo padrão.

Tal característica incide de forma relevante para que possamos compreender como realmente se materializa a ocorrência relacionada às terminologias em questão. O fato é que não há sufixo representado por “-isar”, o que na verdade ocorre é apenas o acréscimo da terminação “ar”, visto que integra o conjunto de palavras já então grafadas com a letra “s”. Vejamos alguns casos representativos:


Em se tratando do sufixo “-izar”, este se deriva da terminação grega –izein, a qual se incorporou à íngua materna por intermédio do latim –izare, cuja materialização se efetiva em casos ligados a substantivos e adjetivos, uma vez terminados em –ico, -ismo e –ista. Assim representados:

Observação importante:
Ainda nos referindo à terminologia representada por “-izar”, há um fator preponderante que impera nesta ocorrência – o fato de que se relaciona a palavras cuja formação não se restringe nem ao uso do “s”, nem ao “z”, como por exemplo:

 
Por Vânia Duarte
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola
 

Gramática - Brasil Escola

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

DUARTE, Vânia Maria Do Nascimento. "As terminologias “-izar” ou “-isar”- Empregando-as corretamente "; Brasil Escola. Disponível em <http://www.brasilescola.com/gramatica/as-terminologias-izar-ou-isar-empregandoas-corretamente.htm>. Acesso em 01 de novembro de 2015.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • Alinesexta-feira | 11/07/2014 11:13Hs
    muito bom!
  • suzano de souza segunda-feira | 17/03/2014 07:47Hs
    Achei excelente! Consegui tirar as minhas dúvidas. Agora eu vou aproveitar o ensejo, para tirar uma outra dúvida. Se me permite, é claro! Qual a frase correta; a) Eu não ligo para o carnaval; b) Eu não ligo carnaval; ou c) As duas formas estão corretas? Muito obrigado!
  • lenequarta-feira | 05/02/2014 23:18Hs
    Excelente!
  • thomassegunda-feira | 03/06/2013 11:01Hs
    ótimo!
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos sobre geografia infantil
GEOGRAFIA INFANTIL
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
AULAS AO VIVO DO ENEM
AULAS AO VIVO DO ENEM
12x R$ 20,83

sem juros

COMPRAR
Motivação a Leitura e a Escrita
CURSO DE FRANCÊS
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
PREPARATÓRIO PARA O ENEM
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação