Topo
pesquisar

Planejamento Familiar

Geografia

O Planejamento familiar é uma prática adotada por inúmeros casais. Entretanto, essa pode ser também uma questão política e econômica.

O Planejamento Familiar é uma espécie de controle da taxa natalidade mais sutil e flexível exercida pelos governos de diversos países. Ao invés de se estabelecer controles rígidos sobre o crescimento da população, essa é uma medida voltada para educar os casais e convencê-los de que o melhor é ter menos filhos, ensinando a eles questões sobre os custos de se ter uma criança e sobre os métodos contraceptivos existentes.

Portanto, percebe-se que o planejamento familiar não é somente uma questão que envolve a preferência pessoal dos casais, mas sim uma política de governo voltada para diminuir o crescimento populacional. Tal medida é fruto de uma perspectiva que defende que os problemas sociais e os grandes índices de miséria se devem ao quantitativo populacional que, em tese, seria muito maior do que a produção de alimentos. Entretanto, sabe-se que a produção de alimentos hoje é mais do que suficiente para abastecer a população, faltando, na verdade, uma melhor distribuição de renda e acesso à alimentação em todo mundo.

Os países desenvolvidos registram taxas de natalidade muito menores que a dos países subdesenvolvidos e, por isso, pressionam para que eles também diminuam esses índices. Na conferência de Bucareste, realizada na Romênia em 1974, os países desenvolvidos, liderados pelos Estados Unidos, tentaram fechar um acordo que exigisse das autoridades mundiais um maior controle sobre o crescimento populacional. Entretanto, os países subdesenvolvidos produziram a chamada Carta de Bucareste, na qual os signatários argumentavam que os problemas da fome e da miséria eram resultantes das limitações econômicas impostas pelas nações ricas sobre as nações pobres.

O Brasil, no entanto, desde 1974 adota medidas para educar e incentivar a prática do Planejamento Familiar para fins de controle das taxas de natalidade. Estabeleceu-se, através da mídia principalmente, que uma família ideal teria o número máximo de dois filhos por casal. Além disso, acontece até hoje a distribuição de pílulas anticoncepcionais e camisinhas, bem como a venda desses produtos a preços acessíveis e sem controle médico.

Com essas medidas, o controle de natalidade no Brasil e no Mundo declinaram consideravelmente, entretanto, a fome e a miséria ainda continuam assolando milhões de pessoas em todo o planeta.


Por Rodolfo Alves Pena
Graduado em Geografia

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • sylvana melloquinta-feira | 15/01/2015 22:20Hs
    não pensar em ter filhos só porque tem dinheiro, imagine por sua prole a serviço do governo, filhos são do mundo, proletariado no sistema econômico( escravos de um país), o Brasil está insuportável com tanta gente no mesmo lugar, do país e de fora,amontoados na metrópole e não migram para outros lugares por falta de recursos;deveria ser um filho por casal, mais respeito aos que já estão no mundo, os filhos atuais querem anular a existência dos mais velhos, e urge o oportunismo de mão-de-obra barata , por ter muita gente e hostilizam os mais experientes
  • Mayara segunda-feira | 15/09/2014 11:46Hs
    Muito boa essas informaçães para o meu trabalho escolar
  • ingrididomingo | 11/08/2013 21:14Hs
    otimo
  • Lucelia de fatima rosaquarta-feira | 07/08/2013 22:34Hs
    fiz laqueadura aos 19 anos por complicaçoes no parto . mas tenho desejo de ter um filho, isso e possivel ?
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos de ciências para crianças.
NOÇÕES DA REFORMA ORTOGRÁFICA
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre redação
CURSO DE REDAÇÃO
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
CURSO DE HISTÓRIA
CURSO DE HISTÓRIA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação