Topo
pesquisar

Leste Europeu: Países que foram aliados da URSS - Parte 1

Geografia

O Leste Europeu ficou marcado pela proposta socialista estabelecida a partir da Revolução Russa e imposta a partir das estratégias de Moscou, capital do Império Soviético.
PUBLICIDADE

Os países do Leste Europeu sofreram após a 2ª Guerra Mundial uma enorme influência do Império Soviético. Sem a pujança econômica dos países ocidentais e desprovida de investimentos produtivos, a URSS utilizou a sua força bélica para criar um bloco de países aliados e muito próximos do seu imenso território, que ficou conhecido como a “Cortina de Ferro”, sendo formada por URSS, Alemanha Oriental, Polônia, Tchecoslováquia, Romênia, Hungria e Bulgária. O projeto socialista desses países não respondeu aos anseios da maioria de suas populações, sendo classificado como uma organização fundamentada nos interesses soviéticos e que contou com o apoio dos grupos militares e favoráveis à centralização do poder. Por isso, o socialismo do Leste Europeu ficou conhecido como a ‘sovietização’ da política e da economia desses países.

Tal comprometimento ficou marcado pela criação do bloco militar Pacto de Varsóvia, em 1955, que serviu para homogeneizar a política externa desses países. O Pacto de Varsóvia foi evidentemente uma resposta à criação da OTAN, bloco militar fundado pelos EUA em 1949. Mas além do combate à expansão dos EUA, o grupo militar soviético também servia de instrumento coercitivo contra qualquer tipo de ato rebelde por parte das nações que pertenciam ao bloco socialista, isso pode ser visto claramente com a intervenção do Pacto de Varsóvia contra a antiga Tchecoslováquia, em 1968, quando manifestações políticas clamavam por democracia, fato que ficou mundialmente conhecido como a Primavera de Praga.

Assim como a própria URSS atravessou um declínio de seus aspectos socioeconômicos ao final da década de 1970, os países europeus que adotaram o sistema socialista também começaram a sentir os efeitos da baixa competitividade de suas economias e o aumento da pressão popular que a todo o momento desafiava a manutenção dos regimes socialistas e ditatoriais. Contando com uma maior unidade étnica, forte grau de instrução e politização da sociedade, a insatisfação popular desses países foi mais articulada do que em outros países socialistas, até mesmo do que na própria URSS. Outro componente importante para essas transformações foi a maior proximidade com o restante da Europa, o que representou um estímulo para as práticas capitalistas.

Alemanha Oriental

A Alemanha Oriental foi uma espécie de espólio para os soviéticos. Sua origem está relacionada com o Acordo de Potsdam, em julho de 1945, quando foram impostas várias restrições militares e a devolução de territórios conquistados durante o período de expansionismo alemão. Após a derrota dos nazistas ao final da 2ª Guerra Mundial, a Alemanha foi subjugada pelas outras potências, acabando fragmentada em quatro zonas de influência política a fim de impedir qualquer tipo de movimento favorável ao retorno dos ideais ultranacionalistas e do militarismo como projeto de Estado. Em 1949, ficaram definidas duas divisões administrativas: a República Federal da Alemanha ou Alemanha Ocidental, sob influência ocidental capitalista, e a República Democrática Alemã ou Alemanha Oriental, sob influência da URSS. Em 1961, a fim de evitar a migração em massa de população do lado socialista em direção ao lado capitalista, foi construído o Muro de Berlim.

Como a Alemanha Ocidental começou a alcançar um enorme progresso tecnológico e social, as comparações entre os dois países apontavam para a falência do socialismo, pois a Alemanha Oriental se assemelhava a um Estado satélite, mantido por um regime ditatorial totalmente voltado para os interesses de outra nação, ou melhor, de um grupo de nações que formava a URSS. Apresentando várias dificuldades para a manutenção do regime socialista, a Alemanha Oriental foi gradualmente integrada com o lado capitalista, o que culminou com a queda do Muro de Berlim no dia 9 de novembro de 1989, que simbolizou a decadência da proposta socialista na Alemanha Oriental e na Europa do Leste, mudando significativamente as concepções de comunismo, socialismo e participação popular nas decisões políticas. No caso da Alemanha, a integração política acabou ocorrendo por completo no ano seguinte, 1990.

O legado da era socialista foi mais de 8 mil empresas estatais e cerca de 4 milhões de trabalhadores desempregados, que se entusiasmaram com as promessas de reformas políticas e sociais do então premiê alemão Helmut Kohl, que não conseguiu, como era esperado, modificar rapidamente o panorama de atraso e baixa produtividade. A modernização alcançou a porção oriental da Alemanha, com a injeção de trilhões de euros em duas décadas, mas a sua economia, em destaque as regiões de Berlim, Leipzig e Dresden, ainda depende de ramos tradicionais como a siderurgia, metalurgia e indústria mecânica. Muitas empresas desapareceram, foram privatizadas ou pressionadas pelo alto custo de manutenção, tendo como base os padrões do lado ocidental. Os críticos desse processo acreditam que os benefícios sociais, ainda que tímidos, foram totalmente extraídos em prol de uma ocidentalização neoliberal, e que a transição deveria ser gradativa e com a participação ativa da população e lideranças políticas locais. Ocorre ainda um sentimento de desvalorização da população que vive nessa região, que tem provocado o ressurgimento de valores retrógrados, inclusive entre os mais jovens, como o movimento neonazista.


Júlio César Lázaro da Silva
Colaborador Brasil Escola
Graduado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista - UNESP
Mestre em Geografia Humana pela Universidade Estadual Paulista - UNESP

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos de biologia
CURSO DE BIOLOGIA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de italiano
CURSO DE ITALIANO
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
CURSO DE MATEMÁTICA
CURSO DE MATEMÁTICA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação