Topo
pesquisar

Herpes-zóster

Doenças e patologias

PUBLICIDADE

O herpes-zóster, também chamado de cobreiro, é causado pelo mesmo vírus da catapora: o herpes-vírus varicela-zoster, e só ocorre em pessoas que já tiveram essa doença. O que acontece é que, mesmo após a cura da catapora, o vírus ainda permanece no organismo, de forma latente, em terminais nervosos.

Assim, apesar de as pessoas que já foram acometidas pela catapora estarem imunes a reincidências, em situações nas quais a imunidade se apresenta comprometida, há a possibilidade do vírus se reativar, provocando o herpes-zóster. Pessoas de idade mais avançada, transplantados, soropositivos, com deficiências imunológicas, em situação de estresse ou em processo de quimioterapia, estão mais propensos a adquirir essa doença.

As regiões do pescoço, face, entre as costelas e da cintura para baixo, são as mais frequentemente afetadas. Ela se apresenta avermelhada e com pequenas bolhas, dispostas em faixas, acompanhando o nervo. Em quase todos os casos, manifesta-se somente de um lado do corpo.

O paciente tende a sentir bastante dor e, em alguns casos, formigamento. Tais sintomas costumam aparecer poucos dias antes do surgimento das lesões, algumas vezes juntamente com febre, mal-estar e dor de cabeça. O comprometimento dos nervos afetados é uma complicação que pode ocorrer, provocando dores persistentes (neuralgia pós-herpética), por muito tempo, mas que na maioria das vezes cessa de forma espontânea, em até um ano. Caso ocorra na cabeça e/ou pescoço, o herpes-zóster pode provocar cegueira, se afetar o nervo responsável pela visão; ou mesmo encefalite, se o cérebro for atingido.

Para aquelas pessoas que já foram vacinadas contra a catapora, os riscos de adquirir o herpes-zóster é mínimo e, caso ocorra, os sintomas são muito mais brandos. Há também uma vacina específica para o zóster, mas ainda não é amplamente utilizada no Brasil.

Pata tratamento é imprescindível o acompanhamento médico. Embora as lesões tendam a curar naturalmente, em até quinze dias, pode ser necessário o uso de remédios para aliviar os sintomas ou mesmo acelerar o processo de cicatrização das mesmas.

É imprescindível evitar o contato com as feridas, já que isso pode propiciar a contaminação de outras pessoas e também provocar infecções bacterianas secundárias.

O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE:
A automedicação pode ter efeitos indesejados e imprevistos, pois o remédio errado não só não cura como pode piorar a saúde.


Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • marcioterça-feira | 02/04/2013 01:49Hs
    o texto e´muito bom e claro sou soropositivo e estou com essa doença que em muitos casos é assustador...gostaria de saber se a doença ,no meu caso ocorreu na região da nadega esquerda próximo a cintura . gostaria de saber se existe a possibilidade de caminhar para o rosto? desde já fica aqui o meu agradecimento,e muita fé em DEUS QUE ELE VAI ME SARAR E A TDS QUE CREREM ,E QUE ESTAO PASSANDO POR ESTE SOFRIMENTO!!!
    • Geyson Montequarta-feira | 27/08/2014 17:56Hs
      Oi Márcio, Vou te contar uma coisa: Tinha um vizinho meu que era professor de Educação Física e pegou AIDS. Ficou magro e ainda chegou a usar o lenço do saudoso Cazuza(quadriculado). Num belo dia de sol eu encontrei ele, a mãe e a irmã numa praia. Ele me deu um grande abraço e não acreditei. Ele estava forte novamente e sadio. Como tudo isto aconteceu??? A mãe é enfermeira chefe de um hospital, conseguiu os coquetéis e ele tomava religiosamente no horário sob vigilância da mãe. Voltou a dar aulas, forte e sadio e com 15 dias já estava de namorado novo. Não sei se vc segue estes caminhos, mas valeu a pena. E lembre-se: "Mãe é Mãe". E merece letras maiúsculas mesmo!!! Abração!!!
      2 3
  • Gyovannasábado | 24/04/2010 16:30Hs
    Muito Legal esse texto...eu nem acreditava que um vírus pode se manifestar s´´o de um lado do corpo e que forma uma casa e cai kkkkkk super legal s2
  • angelicasexta-feira | 30/10/2009 20:47Hs
    Olá. Li o artigo e...infelizmente estou acometida por essa doença pela segunda vez (a primeira foi há 20 anos) a dor é insuportável e estou sendo medicada. Gostaria de saber se é transmissível e se existe uma forma de amenizar as dores. Estou tomando aciclovir comperimidos e tilex há 2 dias e não vejo melhora... obrigada
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos de ciências para crianças.
NOÇÕES DA REFORMA ORTOGRÁFICA
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre redação
CURSO DE REDAÇÃO
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
CURSO DE HISTÓRIA
CURSO DE HISTÓRIA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação