Topo
pesquisar

Lampião, o Rei do Cangaço

Datas Comemorativas

No dia 28 de julho de 2009 completa setenta e um anos do falecimento de Virgulino Ferreira da Silva, conhecido popularmente como Lampião.

Lampião, um dos bandidos mais temidos e procurados, liderou um movimento social acontecido no nordeste brasileiro, o cangaço, comandando vários jagunços, que dominaram a região por mais de vinte anos, nos períodos entre os séculos XIX e XX.
O movimento surgiu após Lampião se alistar em tropa policial a fim de vingar a morte do seu pai, contudo, ele não tinha boas intenções, pois queria se apoderar de bens e riquezas da região, tanto em terras como em objetos de viajantes que passavam pelo local, além de desafiar a força volante (polícia) e os coronéis.

O grupo armava tocaias, aguardando o momento certo para praticar as invasões e os assaltos. Com isso, se apropriava de terras, roubava joias, animais, causando verdadeiro terror pelos povoados. As armas usadas eram, além das espingardas, facas, punhais, cordas.

Fisicamente, os jagunços ficaram conhecidos pelas roupas de couro, adereços coloridos, chapéus característicos.

Por mais que a polícia tentasse dominar o sertão, acabar com o cangaço, não conseguia, pois suas tropas eram fracas perto dos atos de bravura e coragem de Lampião e seus cangaceiros.

O principal aspecto do movimento foi a luta contra a dominação dos poderosos coronéis e contra as autoridades do Ceará e da Bahia, que não tratavam as comunidades sertanejas com o respeito que mereciam.

Em 1930, Virgulino Ferreira da Silva casou-se com Maria Bonita, que foi a primeira mulher a participar do cangaço.

Lampião foi morto em 1938, pego numa emboscada da polícia, tendo sua cabeça decapitada e exposta para a população. Mesmo assim, o movimento continuou existindo através de seu seguidor, o Corisco, um de seus melhores amigos, porém com o objetivo de vingar a morte do amigo.

Em 1940 o cangaço chegou ao fim, com o extermínio de Corisco, encerrando a luta contra a dominação das forças policiais sobre a gente pobre e simples do sertão.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • Carlos Antônio de Souza Ferreiraquinta-feira | 24/04/2014 02:06Hs
    O texto está bom. Gostaria de entrar em contato, pois e tema me fascina. Abraços.
  • alexandre almeidasegunda-feira | 15/08/2011 10:18Hs
    esse texto ensina muinto isso a historia do cangaceiro obrigada xau!!!
  • José Mendes Pereirasexta-feira | 24/12/2010 11:03Hs
    É óbvio que Lampião tinha motivo para tentar vingar a morte do seu pai. Mas antes da morte do pai, Lampião já fazia alguns roubos. Diz que o desejo de Lampião era assassinar Zé Saturnino, o seu inimigo maior, e também o Zé Lucena, por ter assassinado o seu pai. Mas ele já havia abandonado a idéia de vingança, depois do grande assalto que ele fez a baronesa Joana Sandes, que com essa riqueza toda, passou a se interessar por mais assaltos. Na entrevista que ele deu ao médico de Crato, o Dr. Octacílio Macedo, no Juazeiro do Norte, em 1926, ele só falou no pai apenas duas vezes. Com certeza já fazia alguns anos que ele tinha perdido o interesse de vingança. José Mendes Pereira – Mossoró-RN.
  • brunasexta-feira | 09/04/2010 21:42Hs
    foi um resumo bom deveria ter mais imagens para deixar o resumo mais claro.entedeu bjs.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos da português infantil.
CURSO DE PORTUGUÊS INFANTIL
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre a reforma ortográfica.
NOÇÕES DA REFORMA ORTOGRÁFICA
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de inglês para crianças.
CURSO DE INGLÊS INFANTIL
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação