Topo
pesquisar

28 de Julho – Dia da morte de Lampião

Datas Comemorativas

A morte de Lampião ocorreu em 28 de julho de 1938 e marcou o fim de uma vida dedicada ao cangaço.
PUBLICIDADE

No período da história brasileira conhecido como República Velha”, um dos fenômenos sociais mais complexos de se compreender foi o “banditismo” ou “banditismo social”, como apregoa certa tradição do pensamento histórico e sociológico. A principal corrente do banditismo social no Brasil teve ocorrência no sertão nordestino e foi representada pelo chamado cangaço. O principal cangaceiro brasileiro foi o pernambucano Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião. A morte de Lampião e seu bando ocorreu aos 28 dias do mês de julho de 1938, em plena ditadura do Estado Novo.

O cangaceiro Lampião tornou-se, tanto em vida quanto após a sua morte, alvo de lendas fabulosas, muitas delas romanceadas, sobretudo em razão de seu relacionamento com Maria Bonita, que o acompanhava no bando de cangaceiros. Sua saga no cangaço começou após a morte dos pais, que, até onde se sabe, foram vítimas da opressão dos grandes latifundiários da região onde morava em Pernambuco. A revolta contra a classe de fazendeiros e políticos que a eles se associavam transformou Lampião e outros cangaceiros famosos, como Corisco e Caixa de Fósforo, em justiceiros; porém, justiceiros imbuídos de ações atrozes.

O fato é que as ações do cangaço tiveram grande repercussão entre as camadas populares e foram transformadas em temas da literatura feita por autores como Jorge Amado e João Guimarães Rosa. Por meio do cangaço, Lampião conseguiu estabelecer tanta influência em certas regiões no Nordeste que, à época em que Getúlio Vargas começou a desenvolver seu projeto de integração e modernização autoritária do país, ele precisava, entre outras coisas, sufocar os movimentos de rebelião popular.

No início de julho de 1938, soube-se, por meio de um delator, que Lampião, Maria Bonita e mais nove cangaceiros achavam-se escondidos na região dos Angicos, nas proximidades da cidade de Aracaju, em Sergipe. O tentene João Bezerra partiu de Aracaju com um grupo armado à caça dos cangaceiros. Chegaram ao local na manhã de 28 de Julho e surpreenderam-nos com vários tiros de metralhadora portátil. Com Lampião, além de Maria Bonita, estavam os cangaceiros: Quinta-Feira, Mergulhão, Luís Pedro, Elétrico, Caixa de Fósforo, Enedina, Cajarana, Moeda e Mangueira.

Todos foram decapitados. Alguns ainda estavam vivos quando suas cabeças lhes foram retiradas dos corpos. Os policiais exibiram essas cabeças como troféus em praça pública, enviando-as posteriormente para o museu Nina Rodrigues, em Salvador, Bahia, onde ficaram expostas durante muito tempo.


Por Me. Cláudio Fernandes

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Estado Novo: período de controle e concessão aos trabalhadores
Datas Comemorativas Era Vargas – Estado Novo
Os cangaceiros fizeram parte de um movimento social ocorrido no sertão nordestino.
Datas Comemorativas Cangaço
Acima, imagem de vítimas de uma das secas que assolaram o Nordeste em 1877
Datas Comemorativas Secas do Nordeste
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos de biologia
CURSO DE BIOLOGIA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de italiano
CURSO DE ITALIANO
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
CURSO DE MATEMÁTICA
CURSO DE MATEMÁTICA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação