Topo
pesquisar

O Mel e as abelhas brasileiras

Biologia

PUBLICIDADE

O mel é uma substância nutritiva derivada do néctar processado por enzimas digestivas no interior do trato digestório das abelhas operárias, armazenando essa secreção em favos no interior da colméia. Tal substância é sintetizada para servir de alimento tanto para as larvas em desenvolvimento quanto para os insetos adultos da colônia.

Com textura viscosa e sabor adocicado, sua composição contém uma combinação de diversos elementos, sendo:

- Uma grande concentração de carboidratos (glicose, frutose e maltose);
- Lipídios (ácidos graxos), como os palmíticos, oléicos e linolêicos;
- Proteínas e aminoácidos (alanina, arginina, ácido glutâmico e aspártico);
- Além de sais minerais (cobre, manganês, ferro, enxofre, boro e fósforo);
- E vitaminas (A, complexo B, C, D e K).

Na natureza esse composto é sintetizado principalmente como suprimento alimentar, consumidos pelos membros de uma colméia durante o período de inverno. Contudo, em virtude de suas propriedades: imunológica, antibactericida, expectorante e analgésica, esse enriquecido nutriente, já utilizado por civilizações pré-históricas, passou a ser explorado de forma predatória.

Atualmente, em conseqüências do desenvolvimento e aprimoramento das técnicas de manejo na apicultura, tem sido extraído de forma racional sem provocar grandes danos ao ambiente.

No Brasil, o primeiro relato sobre esse produto, está contido nos registros deixados pelo padre José de Anchieta (por volta de 1530), descrevendo entre outros aspectos:

- A abundância e os diferentes sabores do mel aqui existentes;
- A quantidade de espécies de abelhas;
- A forma pela qual o mel era produzido e acondicionado pelos insetos;
- E a forma de extrativismo e consumo empregado pelos colonizadores.

Desde então várias espécies exógenas (não nativas), foram inseridas conforme a ocupação do território. Inicialmente pelos portugueses, introduzindo diferentes espécies de abelhas durante a colonização, e posteriormente pela intensificação do processo de imigração: por alemães (1845), italianos (1895), além de medidas governamentais de âmbito ambiental e comercial, autorizando estudos de viabilidade e produção, empregando abelhas trazidas da África (1950). Colaborando com toda a variabilidade de espécies e sabores de mel hoje existente, de acordo com a floração de nossa vegetação.

Ppor Krukemberghe Fonseca
Graduado em Biologia

Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:

, Krukemberghe Divino Kirk Da Fonseca Ribeiro. "O Mel e as abelhas brasileiras"; Brasil Escola. Disponível em <http://www.brasilescola.com/biologia/mel_abelhasbrasileiras.htm>. Acesso em 29 de agosto de 2015.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • kkzaoquarta-feira | 14/04/2010 21:22Hs
    texto muito bom! apesar que eu nao entedi nada mais ta bom!!
  • Pâmelasexta-feira | 22/05/2009 15:53Hs
    Amei. Usei p a feira de Ciencias
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
AULAS AO VIVO DO ENEM
AULAS AO VIVO DO ENEM
12x R$ 20,83

sem juros

COMPRAR
Motivação a Leitura e a Escrita
MOTIVAÇÃO A LEITURA E A ESCRITA
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
PORTUGUÊS PARA O ENEM
PORTUGUÊS PARA O ENEM
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre química
CURSO DE QUÍMICA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação