Topo
pesquisar

Tatu-galinha (Dasypus novemcinctus)

Animais

Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Cingulata
Família Dasypodidae
Gênero Dasypus
Espécie Dasypus novemcinctus

O nome tatu é de origem tupi e se refere à carapaça nestes animais (ta=duro; tu=espesso). Quanto a essa estrutura, o tatu-galinha, Dasypus novemcinctus, possui carapaça mais convexa que os outros tatus, e nesta há pequenas placas, com nove cintas móveis, localizadas centralmente, no dorso.

Também denominado tatu-de-nove-bandas, tatu-de-folha, tatuetê, tatu-veado e tatu-verdadeiro, esse animal possui cabeça pequena, focinho pontudo, olhos pequenos, e orelhas grandes e estreitas. A cauda é longa, com presença de placas, os membros são curtos, e as garras são longas, curvas e afiadas. Medem aproximadamente 60 centímetros e pesam cerca de cinco quilos. Há pouco pelo em seu corpo, este de cor castanho-escuro, e é levemente amarelado na barriga. Seu olfato é bastante apurado e a audição e visão se apresentam pouco desenvolvidas. Encontrado ao sul da América do Norte, e também na América do Sul, o D. novemcinctus ocorre em todos os biomas brasileiros.

De hábitos noturnos, esses animais vivem geralmente solitários, alimentando-se de invertebrados, pequenos vertebrados, ovos, fungos, frutos, raízes e tubérculos. Sua carne, bastante apreciada, faz com que esses animais não sejam vistos com tanta frequência quanto outrora – embora a caça de tatus seja proibida. Só para se ter uma ideia, o tatu-galinha é uma entre as dez espécies de mamíferos mais apreendidas pelo IBAMA.

Possivelmente, a criminalização da caça ao tatu, aliada ao fato desses animais darem origem a um número que varia entre quatro e doze filhotes a cada ninhada, em detrimento a outras espécies de tatu, que dão à luz a somente um filhote; são fatores relacionados ao motivo pelo qual esta espécie não se encontra ameaçada de extinção (segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais, IUCN, o tatu-galinha apresenta risco mínimo de extinção).

Esses animais procriam uma vez ao ano e cada gestação tem duração de aproximadamente 120 dias. Os filhotes são univitelinos, ou seja: idênticos, e todos apresentando o mesmo sexo – fenômeno característico da poliembrionia.

Atingindo maturidade sexual no primeiro ano de vida, os filhotes permanecem em ninhos construídos no interior de suas tocas, por até dois meses de idade. Tais buracos, com vários metros de extensão, são cavados pelos próprios animais adultos, e servem de abrigo e refúgio contra predadores. Nesse último caso, correr e, em situações extremas, fechar-se em sua carapaça, são outras estratégias adotadas por eles.

O tatu-galinha e os demais representantes do Gênero Dasypus, ainda, são os únicos animais, além da nossa espécie, cujo organismo é capaz de desenvolver o Mycobacterium leprae, bactéria causadora da hanseníase. Assim, eles são bastante requeridos em estudos sobre a doença e no desenvolvimento de vacinas contra ela; e também em pesquisas sobre a coccidioidomicose, causada pelo fungo Cocciodioides immitis: doença respiratória que pode ser fatal e é transmitida por esses animais.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

DEIXE SEU COMENTÁRIO
  • Silas Josué Fernandesdomingo | 02/02/2014 13:59Hs
    ouvi dizer, também, que o nome se da pela semelhança do gosto da carne com a da galinha. acho que o fato dele ser, se entendi bem, vetor da hanseníase deveria de ser mais divulgado, assim seria menos apreciado na "colinária", Silas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos de literatura.
CURSO DE LITERATURA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de física.
CURSO DE FÍSICA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de matemática.
CURSO DE MATEMÁTICA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de redação.
CURSO DE TÉCNICAS DE REDAÇÃO
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
R7 Educação